sábado, outubro 29, 2005

Sabato

Ebbeh...Weeellll... eccoci! Sábado finalmente!
Meu irmão saiu cedo para o trabalho fazendo tooodo o barulho possível. Mas tudo bem. Aí, as 9 da madrugada, meus pais de saída pra passear, me chamam... sabe pra quê? Pra dizer que na geladeira tem comida pronta pro meu irmão quando ele chegar. Ok ok... em família de terroni, filha mulher é pra essas coisas...

Me deu vontade de perguntar porque não disseram isso pra ele cedérrimo ao invés de chamar euzinha pra anotar o recado. Mas fiquei com medo de ouvir pela milionésima vez minha mãe repetir que o coitadinho saiu com pressa e que, afinal, não me custa nada dar um recado assim tão importante. Até parece que faz alguma diferença dar ou não esse recado. Quando a peça volta do trabalho, mal lava as mãos e num pulo já está na geladeira revirando tudo e sempre encontra a bendita comida pronta congelada à espera dele.

Minha mãe não confessa mas no fundo ela adora me acordar, mesmo que seja só pra dizer "Poxa, esqueci o que ia dizer!" Mas tudo bem. Tem nada não... afinal, é sábado e eu não tava mais querendo muito ficar lá deitada esperando o sono voltar. Infelizmente, meu cérebro não entende que aos sábados pode repousar além da hora programada.

Casa vazia, tv livre, silêncio quase total... a rua é estreita e eu escuto o barulho alheio de vez em quando. Um portão que abre. Uns netos que chegam na casa da avó aqui ao lado. O carrinho de mão do entregador do supermerdado aqui de perto. Nunca colocam óleo nas rodas desses carrinhos! Pior é quando vêm fazer entrega de manhã cedinho... durma com o barulho das rodinhas! E quem é que vai ao supermercado antes das 8 pra ter compras entregues as 8 em ponto? Os meus vizinhos, é claro! Gente de bem, que levanta cedo e vai catar o que fazer... mesmo que seja no supermercado. Uffff...

Depois de uma navegada básica, o que me resta nesta manhã preguicenta? hummm... vejamos... um pouco de CDs talvez? E o livro do Márcio Borges me espera pras últimas páginas. Mas acho que o livro vou deixar pra esta tarde, afinal, de tarde, a tv piora 100% e eu preciso ter o que fazer. Também queria pintar mas estou sem telas. O papel não é o melhor dos suportes mas se a vontade de pintar não passar eu vou atacar no papel mesmo. Andei querendo voltar a fotografar. Vejo cenas tão lindas e lembro do tempo em que andava com a Nikon pra cima e pra baixo, toda entusiasmada mas a verdade é que a fotografia "foi um rio que passou em minha vida". Não tem volta, acho.

Vou tomar o repeteco do meu café com leite, antes de terminar a navegada e passar pros CDs. Sluurrrpppp :-)

sexta-feira, outubro 28, 2005

Dias melhores...

Votar até que foi bacana. Vapt vupt... nem dois segundos e eu já estava fora da cabine de votação. Mesmo assim, acho que a galera na praça ia ser mais interessante.

Esses dias, fiquei fora do ar. Fiquei sem saco pra pensar muito depois que fiquei sem trabalho. Cortes temporários, dizem. E daí? Por acaso, as contas pra pagar esperam? Nãooo! Ou seja, em busca de emprego de novo! Os bicos vão me salvar por enquanto.

Acho que 2006 não quer mesmo chegar numa boa, vai chegar enchendo o saco. Merreca. Mas, como a esperança é a última que morre, vou tentar não pensar nisso até o dia 31 de dezembro começar.

Outro dia, uma amiga me falou de uma tal doença chamada fadiga crônica e descreveu os sintomas. Acho que é isso que eu tenho. Em grau reduzido porém os sintomas batem todos com o meu estado atual, principalmente a dificuldade quase infinita em levantar da cama.

E o pior é que não é preguiça crônica, não. Depois do banho gelado ou quentinho, fico novinha em folha, como se tivesse recarregado as pilhas. O problema são aquelas horas do dia em que o trabalho acabou, o ritmo cai e eu caio em mim, sem vontade de nada. Fico cá com meus botões e eles não têm tido nada de muito bacana a me dizer.

E, hoje, é dia de São Judas Tadeu. A tv não pára de repetir isso. Também, pudera... neste país, cheio de causas impossíveis, cheio de desesperados o santo não podia mesmo ter sossego. O que será que os santos pensam quando ouvem nossos pedidos? O que será que um santo pensa quando o time do Flamengo vai lá pedir pra não ser rebaixado? @#$%&*!!! Melhor nem pensar...

Ai ai, a eterna insatisfação humana... hoje, me sinto como uma tia velha, cheia de reclamações, um pé no saco! Aliás, um pé não, dois pés no saco! Ufffff...

Acho que é por isso mesmo que aquele pedacinho da música do Jota Quest não sai da minha cabeça: "vivemos esperando dias melhores pra sempreeeeeeee..."

sexta-feira, outubro 21, 2005

Coisinhas

É noite de sexta-feira e nem percebi... jurava que hoje era ontem, quinta! Tô cada vez mais com a cabeça na lua!

Então quer dizer que depois de amanhã vou ter que ir lá votar?! :-(

Ai que droga! Detesto votar. Não era mais fácil botar todo mundo nas praças e mandar a galera levantar o braço pra decidir? Os gregos é que sabiam fazer a coisa... assim, quem ia passando por acaso também podia votar sem o stress da véspera.

Odeio ter que pegar aquele documento verdinho chamado título de eleitor e ir lá ficar na fila pra apertar os botões... Mas se insistem em reduzir a isso a democracia, nada mais me resta. Amanhã de manhã, dou-me a dura tarefa de achar meu título. Por enquanto, a única coisa que tenho sempre na carteira é o CPF. Pra tudo me pedem esse pedaço de papel!

E o livro que comecei a ler é mesmo uma gostosa viagem de trem. Me senti em Minas logo de cara. Mas fui indo devagar na leitura porque a minha concentração foi quebrada por outras coisas pra fazer. Aliás, eu devia ter deixado pra começar a ler agora mas fui ler mais cedo e acabei tendo que interromper... uff...

Naveguei bastante hoje. Tava meio de bobeira de tarde. Coisa boa... deu até pra cochilar um pouquinho. Pensei bastante também mas não cheguei a nenhuma conclusão sobre o que pensei. Não tem muito pra concluir. Só que muitas coisas aqui dentro ainda tem que mudar até que eu possa me sentir inteira de novo. Há coisas estranhas no ar. Há dias em que acordo bem pra caramba e outros em que preferiria não ter que levantar ou ainda, preferiria levantar de óculos escuros pra ninguém ver os olhos da chorona aqui :-(

É duro admitir mas mesmo no meio desse entusiasmo todo com o romano e com outras mil coisas pra pensar o meu cérebro ou o meu coração ou os dois juntos, sei lá... alguma coisa ainda me faz ter momentos de total saudade daquele idiota. Mesmo quando o tal romano era doce comigo, eu acabava lembrando do tempo em que o idiota também era doce... e me dava nomes meigos... e aceitava ser chamado de ursinho, gatinho e todos os inhos que eu inventasse...

Mas não é dessas coisas que eu sinto mais falta. Sinto falta das conversas intermináveis, da voz, do sorriso, da pele... Andei pensando em jogar fora todas as cartas, cartões, CDs e presentes mas faltava a coragem pra abrir aquela gaveta. Aí quando eu finalmente abro, nova choradeira.

Levantei mal ontem por isso, juntou ainda as descobertas sobre o romano e o humor ficou aquela maravilha. Amanhã vou levantar melhor, eu sei. É quase sábado e eu adoro sábado, sempre adorei o sábado... porque junta-se com o domingo e é suficientemente longe da segunda-feira.

Ó, tô olhando a tv aqui e o Globo Reporter tá fazendo uma cretina pergunta, querem saber porquê a pirataria aqui é perene... aí eu responderia com outra pergunta cretina: cadê o salário pro povo comprar o produto autêntico?

Já vou, já vou...

O pior

de tudo é que eu tô com aquela sensação ridícula de quem faz tempestade em copo d'água!

Detesto issoooooooooo... tenho que mudar.
Um dia, talvez, quem sabe, amanhã... hoje não, que tá tarde...
Ooopss... tá cedo.
Depois.
Ufffff !!!

Os sonhos não envelhecem

Meu pai indicou um livro pra minha próxima leitura. Digo próxima assim por dizer... na verdade, já comecei. Dei aquela paquerada básica... uma folheada aqui e ali pra ver se o livro quer ser lido por mim... hehe... acho que amanhã vou adiante:-)

O livro é sobre muitas coisas. Um recorte no tempo, mais ou menos conta a história do Clube da Esquina, dos Borges, do Milton Nascimento em início de carreira e daquela geração cheia de verve que modificou a cara da MPB (odeio esse rótulo) nos anos 60-70.

O título me encantou porque os sonhos realmente não envelhecem. Nós é que desistimos deles?

Só de ler umas páginas já fui lembrando do meus tempos de escola... naquela fase boa, dos 13 até os 17. Período em que nasceram minhas mais sinceras amizades, que - Graças a Deus! - duram até hoje.

Por falar em sonhos, a realidade hoje bateu-me a porta. Sorrateira. Meu desconfiômetro já foi melhor, sabe... mesmo assim, funcionou bem... e descobri umas coisinhas sobre o romano. Ele mentiu um pouquinho, disse que não tinha nada com ninguém por enquanto. Tá saindo há um tempo com uma tipa de lá dos arredores dele, está paraquedigamos, namorando a tal. E - quiça com qual intenção! -, omitiu esse fato nas longas conversas que teve comigozinha ;-(

Como eu descobri? A Italia é um ovo... hehe... e tenho minhas fontes. Acho mesmo que o FBI devia me contratar logo. Eu achava o Bin Laden rapidinho ;-)

Mentir serve pra quê mesmo? Pois é eu sei pra quê serve...e por conta desse detalhe sórdido, o romano caiu no meu conceito. Porém porém porém... caiu ainda mais hoje, quando falei sobre o que descobri "por acaso" (ele sabia que temos conhecidos em comum). Ele ficou sem graça, depois ficou doce que nem algodão doce pra remediar a situação. Eu fui gentil mas saí de fininho. E, agora de noite, no tal MSN, me tratou superfriamente... aí fiquei meio assim, tipo "kikotofazendoaki" e quando fui me despedindo ele adocicou de novo e se fez de vítima e de maltratado. É mole?

Fui gentil de novo mas me despedi de novo e fechei aquele troço lá! Sou assim... preciso de sinceridade e constância ou não rola. Aliás, acho que o meu mal realmente é a vocação que tenho pra monogamia :-(

terça-feira, outubro 18, 2005

Não deu pra engolir

Eu não aguento mais a propaganda do "Sim"....dizer que as famílias das vítimas da violência foram vítimas meramente de armas de fogo é um reducionismo cínico! Quer dizer então que o problema estão reduzidos às armas? Tudo se resume a ter ou não uma arma? MA VAAAA!!!!

Se tivessem optado por uma campanha mais elucidativa e menos dogmática, teriam tido mais sucesso. Menos mal que ficaram nesse discurso cínico... assim, fica bem clara a fragilidade dos argumentos.

Eu até vou ser à favor da proibição da venda de armas de fogo no Brasil um dia, sabe... quando os problemas sociais não forem mais os geradores da violência urbana desenfreada e quando não houver mais nenhum governo querendo tirar proveito da boa fé de famílias vitimadas pela violência, quando o Estado tiver chegado às áreas mais entranhadas do país e respirar-se o mínimo de segurança e tranquilidade em qualquer ponto do nosso mapa. Aí, eu vou até achar que o desarmamento é uma idéia a ser discutida...

Por enquanto, vou votar contra o cinismo, contra a ilusão de paz, contra a tentativa de encobrir a miséria humana que fabrica dia após dia mais e mais infelizes e delinquentes no Brasil.

Ok, fui panfletária, admito... não gosto disso... mas eu r-e-a-l-m-e-n-t-e não aceito alguém querer discutir o desarmamento sem tocar nos problemas sociais que nos afundaram na violência e ainda tem a coragem de dizer que falar desses problemas é "fugir do assunto"... em cadeia nacionaaaaal... é mole?!

Agora, eu vou almoçar!

segunda-feira, outubro 17, 2005

I’m just too far... from where you are...

Minha vida continua meio mais ou menos em muitos aspectos. Será que é assim pra todo mundo? Bem... seja como for, eu não vou criar um complexo por causa disso.

Maaaas... sabe aquela coisa boa que eu achava que ia acontecer antes de 2006? Pois eu acho que já aconteceu! Emprego melhor e um pouco mais de grana? Nãaaoooo...

É meu coração - esse despedaçado! - que talvez esteja começando a ter um pouquinho de paz. Aquele pouquinho que faz toda a diferença e que não tinha há muuuuuito tempo.

Se o romano tem a ver com isso?;-)
Teeeeeeeem!
TudoooooooooOOOO!
Talvez, eu consiga beliscar ele logo depois do natal!

Isso me lembra o primeiro dia deste ano. Enquanto subia de carro até o ponto mais alto de Genova e morria de medo nas curvas, eu pensava:
ai, meu Deus, okikotofazendoaki?!!

E me faltava já o ar quando cheguei naquelas alturas. Aí, lá de cima, eu quase não quis olhar adiante mas olhei... e vi o horizonte tão vasto e tão lindo naquele dia friiiiiiiiioooo porém cheio de sol, com o mar ligure azul turquesa láaaaa ao fundo. Nem doeu olhar, viu!

O romano pode até não ser aquele mar lá ao fundo mas, sem dúvida, é já algum ponto entre onde eu estive antes e aquele futuro onde eu quero chegar!

Tudo agora são detalhes... ehehe... rotas, traçados, subidas, descidas; andamos fazendo uns planinhos e parece que cada dia ele traz os planos mas pra perto no calendário. De agosto pra dezembro é uma baita mudança de planos, não? Pois é... tô assim... boba... passada... e bem contente... mas assustada!

Ele continua me ligando praticamente toda noite. Quando vou atender parece que o coração vai sair pela boca... cruz credooooo... nem tenho mais 14 aninhos mas putzzz... é tão boooom :-)

Sei lá, relaxei... andei me sentindo ridícula uns dias, sabe... mas e daí? Ninguém tá vendo né? hehe...

sexta-feira, outubro 14, 2005

Com calma...

Pra essas coisas eu sou devagar quase parando. Preciso de tempo, preciso de chão e o mundo virtual dá tudo menos isso. Paciência. Por enquanto, todo o resto tem dado sinais de existência.

Compatibilidade é o nome disso? Empolgação? Carência provavelmente cai melhor... mas não quero reduzir estes dias à isso. Não sou assim tão material a ponto de não crer nos felizes imprevistos e além do mais, como dizia o Antoine - maravilhoso - no diálogo entre a raposa e o pequeno príncipe: "o essencial é invisível aos olhos".

Pois então... o romano é super invisível pros meus padrões taurinos. Taurinos querem logo beliscar a pessoa, sabe... hehe... O pior é que vai continuar tudo assim até segunda ordem porque o romano só tem férias em agostoooooo... eu mereço? Isso não tá certo! Ok, se eu ganhar mesmo o mundo de novo em março, pode ser que eu passe em Roma e belisque ele... hehe... mas e-se-eu-não-conseguir? Grrrrr...

Por enquanto, eu nem sei mesmo se vale a pena beliscar mas vai que daqui até lá eu descubro que vale? Vou ficar nessa fissura até março ou agosto? Putzzzz

E agora ele me liga toda noite... hehe... o pessoal aqui tá me olhando estranho. Eu atendo o telefone no quarto e minha supermãecontroladora tá se roendo de vontade de saber quem é que me liga mas eu - só de má que sou! hihihhi - não vou contar nada nãoooooooo!

Sei lá... minha mãe é sutil como um elefante. Pra ela só vale a pena o que cabe nos planos dela pra mim. Um jeito meigo porém tirano de me amar e querer o melhor pra mim. É algo bem medieval... haja saco!

quinta-feira, outubro 13, 2005

Como se eu fosse flor...

Pois é...
ele me chama de fiorellino ;-)
Florzinha é ótimo, não?

Piegas eu sei mas não é cantada barata não, sai bem natural, sem tom meloso... é tão booooooooom!
E yeeeessssss...

eis aí ele de novo on line...
lá vou eu pro MSN!
Ó céus, ó vida...
nem acredito...
ahahahaha...

terça-feira, outubro 11, 2005

Pirei na batatinha?

O romano me fez usar o msn por três dias seguidos!
o que isso quer dizer?

Que eu estou carente? Com certeza...
mas além disso, ele é legal, sabe.
Ok ok, tá bom, confesso: ele é bem mais que legal!

Pirei na batatinha, só pode ser! Mas se eu pirei ele pirou muito mais...hehe...

Ontem, ele me ligou. Lá, era quase 1 da manhã. Que coisa estranha essa de falar com quem a gente nunca viu... mesmo assim, foi uma conversa tão divertida que eu quis mesmo que ele estivesse aqui.

Ai ai... coisas estranhas no ar... ;-)

sábado, outubro 08, 2005

Maldadeeee...

Homens, como entendê-los?

Os homens bons são feios.
Os homens bonitos não são bons.
Os homens bonitos e bons são gays.
Os homens bonitos, bons e heterossexuais estão casados.
Os homens que não são tão bonitos, mas são bons, não têm dinheiro.

Os homens que não são tão bonitos, mas que são bons e com dinheiro, pensam que só estamos atrás do dinheiro deles.

Os homens muito bonitos sem dinheiro estão atrás do nosso dinheiro.
Os homens bonitos, que não são tão bons e razoavelmente heterossexuais, não acham que somos suficientemente bonitas.

Os homens que nos acham bonitas e que são heterossexuais, razoavelmente bons e têm dinheiro, são covardes.

Os homens que são razoavelmente bonitos, razoavelmente bons, têm dinheiro e graças a Deus são heterossexuais, são tímidos e NUNCA DÃO O PRIMEIRO PASSO!

Os homens que nunca dão o primeiro passo, automaticamente perdem o interesse em nós quando tomamos a iniciativa.

AGORA... QUEM NESSE MUNDO ENTENDE OS HOMENS?

Moral da História:

Homens são como um bom vinho. Todos começam como uvas e é dever da mulher pisoteá-los e mantê-los no escuro até que amadureçam tornando-se algo com que gostaríamos de sair para jantar!

........................maldade..............................

Olha, quanta maldade nesse texto! Não sei se tudo isso sobre eles é verdade mas... acho que é! hehehe... Em parte, essas constatações não são novidade pra mimzinha mas o pisotear eu prefiro trocar pelo amassar e não necessariamente com os pés ;-)

Yesssssssss

Consegui descobrir como colocar os links aí... me sinto poderosa... e boba! ;-)

sexta-feira, outubro 07, 2005

Mudei

a cara do blog...
Não gostei muito não mas fazer o quê se eu não entendo necasdepitibiriba de templates?!

Vai ficar este aqui mesmo, tá repetidissimo no blogger.com mas este é o que eu achei mais bonitinho depois daquele que usava antes. Já tava enjoada daquele azul escuro :-(

Agora, só falta aprender a editar os links pra colocar aí do lado os sites que eu gosto de visitar e os blogs que eu leio.

E o help do blogger.com não tá afim de me ajudar a entender nadica de nada, sabe... Aliás, acho que quem escreve FAQ, via de regra, é gente preguiçosa que economiza os detalhes e emperra a vida de quem precisa de ajuda pra entender este troço aquiiiiiiiii = EU !

Funciona

O tal meetic funciona mesmo... tem uns lances idiotas, tipo "flash" pra quando alguém te acha ok (só pela foto e pelo perfil, vê se pode?) mas é um site bem menos patético de quanto eu imaginava que era. Um romano simpático me chamou pra um chat. O bom é que o cara aparentemente não é daqueles solitários depressivos nem maníaco por brasileiras e também não é daqueles que tão pegando papel na ventania. Não vou ficar aqui fazendo propagando do meetic mas realmente não me desagradou não. A gráfica é bem legalzinha e não é piegas, não tem coraçãozinho pra tudo quanto é lado. Suportável.

Obviamente, o romano já está devidamente adicionado ao MSN mas como eu quase não uso isso, estamos trocando e-mails... mas não, ninguém fala de romance, etc. Só mesmo trocando idéias. Aliás, se o cara fosse logo falando de romance virtual, eu teria evaporado!

Passei uns dias de molho de novo. Uma pedra de gelo estava encaixada bem aqui no meio do meu peito. A sensação é literalmente essa. Sabe quando não a gente não sorri nem das coisas que normalmente fariam a gente cair na gargalhada? Pois é... eu tava, e ainda tô meio assim...

Ainda estou tentando acreditar que é uma questão de tempo e que em breve tudo aqui dentro vai voltar ao normal. O problema é que, às vezes, tenho medo que não volte :-(

Enfim...

Ah, eu estou esperando ansiosamente pela nova jornada de "Hoje é dia de Maria"! Ano passado, quando passou na tv, eu não estava aqui e não vi. Aí quando vi essas chamadas na tv, fiquei encantada. Que iluminação lindaaaaa! E o cenário parece coisa do Fellini! Essa produção da Globo, eu vou ver com gosto...

Por falar em produção, Brasília tá preparando uma superprodução de pizzas... andei meio desligada dos fatos e quando acordei, o Aldo Rebelo já tinha sido eleito - com os votos dos envolvidos nos escândalos mensalão, correios e bingos - o Zé Dirceu já tava querendo aplicar o golpe de dizer que ministro deixa de ser deputado quando vira ministro e a tal Salvatti que posava de feroz passou a sair de fininho pra não votar quebra de sigilos bancários na CPI dos correios.

Essa é Brasília... é só a gente cochilar que eles tacam lenha no fogo e preparam as massas... tô de saco cheio disso. Se lotearem a Lua, vou me mudar pra lá. A minha cabeça já tá lá mesmo :-)

O meu trabalho tá minguado este mês, ou seja, a grana ainda vai ser curtíssima se não aparecer logo algo legal pra salvar meu orçamento...

Ufffff...

segunda-feira, outubro 03, 2005

Crise

Tempos modernos e problemas antigos. Como se faz para desencanar e acreditar que o destino vai se encarregar de tudo? Tem dias em que consigo essa proeza e outros em que quero sair resolvendo a minha vida como uma ida ao supermercado. Faço a lista, vou lá e fim de papo! Armário remediado de novo.

O problema é que os ítens que estão faltando no armário, leia-se minha vida, estão em falta por aí. Eu preciso de amor, de paz, de um pouquinho mais de dinheiro, preciso de um lugar tranquilo e quentinho pra viver!

Enfim, hoje, eu bem que poderia cantar aquela canção: "eu quero uma casa no campooooooo, onde eu possa ficar do tamanho da paz..." ou ainda aquela outra "agradeça se acaso tiver, alguém que você gostaria que estivesse sempre com você na chuva, na rua, na fazenda ou numa casinha de sapêee..."

E pra completar meu desastre, eu sempre sonhei ser mãe antes dos 30 e com essa "crise E" (de emocional e econômica), meu sonho corre sério risco de ser adiado ;-(

Andei até pensando em me cadastrar no meetic pra ver se aquele treco funciona... ehehe... virtualmente, quem sabe minhas chances de conhecer um cara legal aumentem? Seráaaaaaaaaaaa ?!

Bem... não custa tentar. Vou lá preeencher aqueles formulários enoooormes e ver no que vai dar! Cruzo os dedos! ;-)