segunda-feira, maio 29, 2006

Penso

Fim de ciclo. Dei a última volta da chave. Girei bem devagar para confirmar, depois tentei abrir só para ter certeza de que estava mesmo fechado e está. Aqui fora, o sol está brilhando. Muita luz. Meus olhos ardem. Tenho medo de não enxergar e tropeçar de novo.
Trouxe comigo algumas coisas, algumas dicas de caminhos bons mas não basta. Preciso mesmo é de coragem para arriscar. Alguém me chama lá, onde eu já estive. Que ironia! A cidade é a mesma mas todo o resto é diverso. Oposto. Não há o benefício da dúvida, há uma proposta concreta, com chão e até paredes para tatear. Nunca me foi oferecido tanto lastro... tenho até medo de dar calote e não merecer tamanha oferta.
Estou avaliando a proposta. Parada aqui ao batente, sentindo o cheiro do verão, o sal do mar no vento forte... olhando para baixo, vendo a grama... penso.

segunda-feira, maio 22, 2006

caraminholas

Bateu insegurança... pesadíssima.
Faz-se necessária uma pausa para pensar...
vou alí e já volto!

Com todas as letras

E no meio da madrugada, um e-mail... algumas palavras... dúvidas de cá, dúvidas de lá...
mas ao final da conversa franca, surgiram umas letrinhas que postas assim todas juntas e endereçadas - com ar sincero - a mim, há muito tempo, meus olhos não liam.

Ganhei a madrugada, o dia, a noite, o mês, o ano e o século.

Seja como for daqui pra frente, só posso dizer que começou bem :)

sexta-feira, maio 19, 2006

Amém

Ok, vou dizer. Bobagens... melhor não? Pode até ser... e eu nem ligo. Sonhei, acordei bem, pensei pouco, senti muito mas tem que ser. É que já quero tanto...
Que seja! Mesmo que seja tudo estranho, novo mesmo, fora da rota que eu previa. E os riscos? E os meus preconceitos de estimação, onde estão?
Ali, ó... na lata do lixo.

quinta-feira, maio 18, 2006

Ai ai...

Nem sei se devo... não sei se é hora... não sei, se, será... quantas palavras dúbias hoje! Parece que meus pensamentos andam em círculo. Conversei com o quarentão. Muito. Demais. Acho. Franqueza é uma coisa que faz realmente muito bem aos meus ouvidos.
Agora, a melhor parte: há séculos não sentia tanta vontade de beijar alguém especificamente.
Estou ficando preocupada.

terça-feira, maio 16, 2006

Dúvida cruel

Sinceramente, achei que seria mais fácil ponderar... achei mesmo. Mas não está sendo. Pelo contrário!
O cara tem 45 anos, corpo de 40, humor de 30... um filho de 15, dois casamentos falidos. Cada um durou dez anos. Tá solteiro há um ano. Livre, atencioso, inteligente, atraente, sério mas alegre. Culturalmente compatível. Aliás, nem tanto... ele é culto mas é mais fluente em economia.
É executivo de altas rodadas, fecha negócios que vão além de qualquer cifra que eu já tenha imaginado algum dia na vida. E ganha muito mais do que eu, é claro. Aliás, ganhar mais do que eu é a coisa mais fácil hoje em dia!!! hahaha...
Mas, falando sério, isso me assusta. Riqueza, para mim, é defeito. Filha de proletário tem dessas coisas. Prefiro sempre os jovens e remediados. E, agora, me aparece esse! Não bastasse ser mais velho - logo muito mais experiente - o cara é rico... não sei lidar com isso. Ok, ele conserva o jeito simples de quem veio de baixo mas é sofisticado nos gostos.
Apesar de tudo, está sendo difícil rejeitar essa hipótese maluca que apareceu de repente. O cara sabe persuadir. E a pergunta que não quer calar é: se isso for rolar, onde é que vou guardar meus preconceitos?
Pois é... não sei.

segunda-feira, maio 15, 2006

Pesquisa de opinião

Pode (ria) dar certo o relacionamento entre um homem de 45 e uma mulher de 26 anos? Aceito opiniões... justificadas são ainda mais benvindas!
  1. Sim, claro, com certeza!
  2. Acho que sim
  3. Depende...
  4. Talvez
  5. Não mesmo!
É nessas horas que descubro meus preconceitos...

Então...

durou pouco mas tentei. Na verdade, eu sabia que não iria durar muito mas quis tentar. Voltei para o tronco e eis que um turno de cinco horas se multiplicava... e se transformava em oito horas sem intervalos. Quatro quilos queimados em uma semana.
Esse povo chique do hight society acha que spa emagrece. Deviam é ir trabalhar em jornal! Do boy ao editor, não há quem escape da dieta forçada. Claro que uns suam menos. Outros derretem mais.
Vitaminas, muitas vitaminas para me manter de pé com toda a correria. Mas a solução veio mesmo com o raiar do dia. Pensei em voz alta e o que saiu foi:
"liberdaaaaaaaaaade, liberdaaaaaaaaaade, abre as asas sobre nós! E que a voz da igualdade seja sempre a nossa voz!"
Conhecem? Pois, para mim, foi suficiente. Liguei, avisei e respirei fundo quando olhei para o lado e vi algumas contas que ainda estão a esperar que eu vá dar cabo delas.
Hei de conseguir...
ou não?
Não precisa responder :(

quarta-feira, maio 10, 2006


Trecho de "Tempo e destino", uma canção do norte.
Porque o norte tem poetas que todas as bússolas desconhecem. Dois poetas do norte compuseram uma das minhas canções favoritas. Canção de beira de rio, de beira de vida, de meio de mato, de rede no quintal, de noite de estrelas, de tardes de chuva, de cadeiras nas portas para cantar e ouvir histórias.
E a canto porque quero mesmo saber o que vai acontecer ao meu coração.

terça-feira, maio 09, 2006

Forza

"(...) La riconoscerai, la forza della vita... che ti trascinerà con sé... che sussurra intenerita: guarda ancora quanta vita c'è!"
"(...) A reconhecerás, a força da vida... que te arrastará consigo... que sussurra enternecida: olha quanta vida ainda existe!"
Paolo Vallesi em La forza della vita (Sanremo 1992)
Sim, eu ando muito ocupada. Sim, eu tenho amigos que me amam. Sim, eu completei 26 anos. Sim, eu me sinto melhor do que no último aniversário. Mas continuo me sentindo tristonha com frequência mesmo quando não tenho tempo para pensar em nada; e continuo achando que meu comportamento emocional é infantil porque continuo acreditando em estórias para boi (sou taurina) dormir.
E, para variar, aos 26 anos dei para lembrar dos hits de quando tinha 12 -13. E das subseqüentes regravações, etc... ufff!

segunda-feira, maio 08, 2006

Desafiante...

Rebel me passou um desafio que eu já venci mas vencerei de novo, atualizando minhas manias mais que normais:

  • tomar café com leite quando estou com sede
  • enrolar lencóis com os pés pra enrolar o tempo e a preguiça de levantar pela manhã
  • dormir com a cabeça debaixo do travesseiro
  • tomar banho quente mesmo no verão
  • morder minha boca quando estou preocupada

domingo, maio 07, 2006

Refresco

Sergio Groisman entrevistando uma porta na tv e o slogan do programa dele ainda continua sendo "vida inteligente na madrugada". Uffff...
Quero dizer a todos os brasileiros que passarem por aqui e também a todos que estejam querendo aprender algo sobre lavagem de dinheiro ou fazer pós-graduação em corrupção venal: VÁ para ESTE ENDEREÇO e leia toda a entrevista!
Vai ser útil também para refrescar a memória de quem estivesse esquecendo as muitas e recentes atitudes selenitas de um presidente que diz que não ouviu, diz que não viu, diz que não sabia mas enfim!!!!
E se ele continuar a repetir esse ramerrão do não sabia, uns e outros amigos (iludidos) petistas que tenho (porque amigo é amigo e tenho que aceitá-los tal qual são!) vão finalmente entender que bom mesmo teria sido mandar ele para o espaço e não o nosso astronauta!

sexta-feira, maio 05, 2006

Pré-26

Depois de quase vinte e seis anos de existência e de viver algumas experiências significativamente boas e outras tantas ruíns, é chegada a hora de suplicar veementemente ao céu a ajuda, o clarão ou sopro de resposta que me explique e justifique - muito bem justificado! - o motivo pelo qual os homens que se aproximam de mim insistem em dizer mentiras ridículas mesmo quando estão prometendo sinceridade.
Será a minha roupa, a minha cara ou algo que eu digo; o quê os faz pensar, assim tão rapidamente, que - além de parecer... - sou mesmo uma completa idiota?
Traumatizei :(

terça-feira, maio 02, 2006

Devendo

Queria escrever sobre algo que estivesse além de mim. Algo que vi, pensei, entendi mas além. Algo que não fosse tão subjetivo nem pessoal. Queria colocar aqui uma reflexão decente sobre essas coisas todas que passam pela cabeça durante o trabalho ou a folga.
Mas ainda hoje... mais uma vez... não dá.
Garçon, pendura na minha conta! ;)
Ascoltando
il pezzo cantato da Endrigo: "io mi fermerò e ti regalerò quel che resta della mia gioventù..."
Sì, mi sa che rimango ferma qui e dovrò rinascere dalle cenere ancora non so quante volte... finché non arriva il giorno in cui la vita deciderà di continuare.